Artigos
O feto não é uma coisa


Jornal do Commercio

Leonardo Machado

No artigo do mês passado, escrevi que a Doutrina Espírita entende o início da vida humana no momento da fecundação e que, de fato, a Embriologia, totalmente independente do Espiritismo, considera o zigoto único e capaz de comandar sozinho o seu desenvolvimento.

Neste domingo, portanto, aprofundando a questão, convido-te para um análise mais detida sobre quando começa a vida, verificando que o feto não é uma coisa, nem muito menos uma parte do corpo materno. Aliás, Platão já dizia, antes mesmo do avanço da anatomia humana, "o feto é uma criatura viva, que se nutre e se move nas cavidades do corpo materno".

Neste sentido, verificaremos que, realmente, o artigo 5º da Constituição Brasileira garante "a inviolabilidade do direito à vida", e o artigo 4º do Código Civil afirma: "a personalidade civil do homem começa pelo nascimento com vida, mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro".

Por sua vez, a psicanalista brasileira Joanna Wilheim explica: "qualquer experiência ocorrida no feto, desde a formação de cada uma de suas células, fica retida numa matriz básica inconsciente, na memória celular". Assim, segundo a estudiosa da psique, desde os primórdios da vida intra-uterina, o feto já pode perceber o som, engolir, sonhar, reconhecer a voz da mãe e apresenta sinais de comportamento, expressando estados emocionais de agrado e desagrado.

Além disso, como elucida a psicanalista italiana Alessandra Piontelli, este padrão de comportamento fetal continua a ser observado no período pós-natal. Explica ela: "gêmeos que brigavam continuaram a brigar da mesma maneira até os 4 anos de idade".

Vale a pena, lembrar da fala poética de Kahlil Gibran "vossos filhos não são vossos filhos/ ... /Vêm através de vós, mas não de vós/ E, embora, vivam convosco não vos pertencem", porque, realmente, o feto não é uma coisa, ou um braço materno, mas um ser que quer viver.

A abortação, é o reflexo da falência ético-moral de uma sociedade. Toda vez que estas caem, ela surge como solução fácil, porém ilusória.

Quando não se educa a criança, apela-se a ela na hora em que a adolescente engravida, alegando-se a sua imaturidade. Quando não se conscientiza o ser, busca-se ela no momento em que a gravidez é inesperada, apelando-se para a inconveniência. Quando o egoísmo campeia, olha-se para ela para se preservar uma carreira ou para se ocultar um adultério. Quando a falta de planejamento econômico impera por parte do governo, eis que ela surge, falsamente piedosa, pretendendo salvar das dores uma família já muito pobre.

Quaisquer, porém, que sejam os motivos para a provocação de um aborto intencional, deve-se lembrar, antes de fazê-lo, que o feto merece a mesma atenção dada a uma criança (O Livro dos Espíritos, perg.360).

Assim, caro(a) leitor(a), aprenda a olhar para este ser com amor, pois ele não é uma coisa. Se, porventura, já escolheste antes este caminho, não te deixes ficar na culpa, sempre prejudicial. Desenvolve em ti a coragem e prossegue. O futuro, sempre, pode nos reservar um manancial de bênçãos e o passado um livro de aprendizado. Lê o teu passado e, com ele e com estes conhecimentos acima expostos, constrói um porvir mais feliz.

» Leonardo Machado é estudante de medicina da UPE e palestrante espírita


Outros Artigos:


Misérias Humanas – A alienação e a inversão de valores
Aborto: Contra ou a favor?
O Papel de Maria na história da salvação
Bento XVI e o ateísmo
Diálogo com um Filósofo Ateu
Aborto uma mensagem de reflexão
Aborto: Direito ou Crime?
Jesus e os abortistas
A PROPÓSITO DE UMA EXCOMUNHÃO
O momento do nascimento de um filho é único
Recife: A pedagogia de Jesus diante dos antigos e novos fariseus
O Desafio de ser Mãe
Pacto de São José da Costa Rica: uma arma poderosíssima
O VINHO E A ÀGUA.
Aborto: questão de saúde pública
Recife Sexual. Outro grande erro.
Você é a favor da discriminação aos homossexuais?”
Sereis como deuses...
Grupo discute aborto e temas contra a vida
Carta de um bebê
Semana Nacional da Vida e Dia do Nascituro
Controle populacional e homossexualismo
Universidade Mackenzie deveria parar de distribuir Bíblias?
Governo de Obama pisa na consciência dos cidadãos
Dupla gay Devassidão e Mentira ditam as ordens na imprensa
O MOVIMENTO DA SERPENTE - Diário de Pernambuco publica artigo de autoria do nosso coordenador Marcio Borba. O texto trata das armadilhas do homossexualismo.