Artigos
Jesus e os abortistas


Marcio Borba - Coordenador do movimento Javé Nossa Justiça

"Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância", disse nosso senhor e salvador Jesus Cristo.

Portanto, quem é a favor da defesa intransigente da vida, está trilhando um caminho cristão.

Mesmo que não se dê conta disso, como os agnósticos, ateus e integrantes de outras religiões, estão fazendo o bem do ponto de vista de Jesus.

"Quem não está a meu favor está contra mim, e quem não ajunta comigo, dispersa", Lucas, 11, 23.

Pela lei do contraditório, quem não está com o bem está com o mal e no oposto vivem para que todos tenham morte e a tenham em abundância.

Não aquela morte que todos nós encontraremos um dia, ou seja, aquela morte que termina nossos dias, mas aquela que vem por mãos odiosas que por arrogância laica, mórbida e cruel se arvora de nossa juíza e nos condena ao fim.

Assim agem os assassinos. Assim agem os mais covardes dos assassinos: os abortistas.

Quando os reis, imperadores, ditadores cruéiscondenavam à morte a toda gente, restava-lhes ao menos gritar sua inocência e suplicar pela vida. Quando os estados que prevêem a pena de morte condenam um cidadão a esta pena, por pior que possa ter sido o seu crime, o condenado tem inúmeras instâncias de recurso.

Os abortistas não ouvem suas vítimas. Elas não podem falar. Não lhes dão direito de recurso. Elas não podem recorrer. Não lhes dão clemência. Elas não podem pedir. Só lhes dão o gosto amargo do remédio da morte: o veneno.

Que mal fizeram os bebês abortados? Acaso deram causa a gravidez que agora é considerada passível de interrupção?

Ouve-se dizer "ela era pobre não teria como sustentar seu (s) filho (s)". Então, os filhos dos inscritos no Bolsa Família, que abriga pessoas reconhecidamente pobres, seriam automaticamente exterminados? Os ricos podem nascer e os pobres não?

Ouve-se ainda "ela não queria" ou "não estava preparada". Assim sendo, quantos de nós estaríamos vivos? Quantos de nós não chegamos sem avisar e fomos amados pelos nossos pais, oupelo menos por um deles.

Antes que eles nos quisessem Deus nos quis.

Quem faz de sua vida uma profissão de morte, cospe no prato que comeu. Por que alguém lhe deu a vida e não lhe considerou digna de um aborto.

Raça de víboras. Receberam a vida e dão a morte. Receberam um colo e ofertam uma sepultura. Foram alimentadas pelo seio e oferecem agulhas, seringas e ferros. Alimentaram-se de leite materno e injetam veneno.

A excomunhão para essas pessoas é apenas o registro de seus atos. Já se excomungaram a si próprias.

Anjos da morte.

Tentam assumir o papel de Deus determinando vida e morte. Colocam-se por conseguinte fora do Reino de Deus e do seu Plano de Salvação.

Publicado no Diario de Pernambuco em 17.03.2009


Outros Artigos:


Misérias Humanas – A alienação e a inversão de valores
O feto não é uma coisa
Aborto: Contra ou a favor?
O Papel de Maria na história da salvação
Bento XVI e o ateísmo
Diálogo com um Filósofo Ateu
Aborto uma mensagem de reflexão
Aborto: Direito ou Crime?
A PROPÓSITO DE UMA EXCOMUNHÃO
O momento do nascimento de um filho é único
Recife: A pedagogia de Jesus diante dos antigos e novos fariseus
O Desafio de ser Mãe
Pacto de São José da Costa Rica: uma arma poderosíssima
O VINHO E A ÀGUA.
Aborto: questão de saúde pública
Recife Sexual. Outro grande erro.
Você é a favor da discriminação aos homossexuais?”
Sereis como deuses...
Grupo discute aborto e temas contra a vida
Carta de um bebê
Semana Nacional da Vida e Dia do Nascituro
Controle populacional e homossexualismo
Universidade Mackenzie deveria parar de distribuir Bíblias?
Governo de Obama pisa na consciência dos cidadãos
Dupla gay Devassidão e Mentira ditam as ordens na imprensa
O MOVIMENTO DA SERPENTE - Diário de Pernambuco publica artigo de autoria do nosso coordenador Marcio Borba. O texto trata das armadilhas do homossexualismo.